Resenha: Além-mundos, de Scott Westerfeld

No último vídeo de book haul do canal eu mostrei Além-mundos, do Scott Westerfeld, que recebi da Galera Record. Assim que abri o envelope já soube que passaria aquele livro na frente da pilha de leitura, pois já fazia um tempo que queria conhecer alguma obra do autor. Com a faca e o queijo na mão, não podia mais adiar esse objetivo, certo?

IMG_5133

Além-mundos é um livro que contém duas histórias diferentes, apresentadas em capítulos alternados. A primeira é uma ficção escrita por Scott Westerfeld, e a outra é a ficção da ficção, escrita pela personagem criada pelo autor na primeira história. Pareceu confuso? Continua comigo que eu explico.

Primeiramente, somos apresentados a Darcy Patel, uma jovem de família indiana, mas que nasceu e foi criada nos Estados Unidos. Darcy escreveu um livro intitulado Além-mundos em apenas um mês, e assim que completa 18 anos e consegue um contrato com uma editora, resolve mudar-se para Nova York para perseguir o sonho de se tornar uma escritora.

Em seguida, conhecemos Lizzie, a protagonista do romance de Darcy, Além-mundos. Ao fazer uma escala tarde da noite no aeroporto de Dallas, Lizzie presencia um ataque terrorista e precisa fingir-se de morta para escapar dos tiros. O problema é que Lizzie capricha na atuação e acaba atravessando a barreira entre o mundo dos vivos e o mundo dos fantasmas. Nesse outro lado, além de ver as almas das pessoas que estão morrendo à sua volta durante o ataque terrorista, Lizzie conhece Yamaraj, um jovem da sua idade que parece habituado em viver entre esses dois mundos.

IMG_5135

IMG_5134

Nós acompanhamos, à partir de então, o desenrolar da vida dessas duas jovens. De um lado temos Darcy, com seus dilemas mundanos relacionados à indústria literária norte-americana, mais especificamente de livro young adult (jovem adulto). Do outro lado, descobrimos com Lizzie que os fantasmas estão por todos os lugares e que o além-mundo possui suas próprias regras, as quais ela compreenderá melhor com a ajuda de Yamaraj e de outros companheiros que já deixaram nosso plano.

É interessante ler a versão final de Além-mundos, enquanto acompanhamos Darcy finalizando o romance em tempo real durante seus capítulos, bem como os motivos que a levaram a tomar novos rumos na narrativa. Através da vivência de Darcy, nós temos um gostinho de como é ser um autor de YA badalado em Nova York, frequentando encontros exclusivos e turnês literárias. Também conhecemos o lado não tão florido de ser um escritor, como quando a editora exige um final feliz para o livro, ou a venda de seu primeiro romance é tão ruim que você corre o risco de perder seu contrato.

IMG_5136

Durante sua estadia em Nova York, Darcy conhece Imogen, uma jovem que também publicará um livro YA pela mesma editora. Elas passam a morar juntas e mantém um relacionamento muito bacana, com fofura e problemas na medida. Achei importante ressaltar que esse livro possui um casal lésbico, pois sei que muita gente busca se identificar em histórias do tipo, já que (infelizmente) a maioria dos casais em livros jovens são heterossexuais.

IMG_5137

Enquanto a vida adulta, com seus problemas reais até demais, engole Darcy Patel, a história de Lizzie é pura fantasia. Apesar de eu ter gostado do funcionamento do além-mundo e dos dilemas sobrenaturais com os quais Lizzie precisa lidar, fiquei um pouco incomodada com o romance da protagonista e Yamaraj. Sem dúvidas, um dos maiores instalove que já li. O que salvou é que eu sempre tive em mente que essa história fazia parte do primeiro livro escrito por uma garota de 17 anos. Depois fiquei pensando com meus botões que talvez Além-mundos seja um livro que o próprio Scott Westerfeld escreveu quando tinha essa idade, e deu um jeito de publicá-lo mesmo ele não estando tão redondo quanto poderia.

alemmunos-euquero

Apesar desse porém, minha experiência de leitura com Além-mundos foi muito positiva. Fui conquistada por Darcy e Lizzie e ficava ansiosa para passar algum tempo do meu dia com elas e suas aventuras mundanas e sobrenaturais. Vi muita gente receosa com o tamanho de Além-mundos, mas não precisa se preocupar: é aquele tipo de livro que você lê 100 páginas e nem percebe. Com uma escrita tão gostosa, fica fácil entender por que Scott Westerfeld é um autor queridinho por tantos leitores.

E você, já leu ou ficou curioso(a) para ler Além-mundos? Qual livro do Scott Westerfeld você recomendaria para eu ler depois desse? Boas leituras!

Posted by Rafaela Paludo

Apaixonada por livros, dias chuvosos e xícaras de chá.

4 comments

  1. Já li a série Feios, do Scott Westerfeld, e por causa da minha experiência maravilhosa com essa série, fiquei curiosa para ler Além Mundos. Além disso, os comentários da capa dão a entender que o livro terá uma grande reviravolta ou algo do tipo, que será surpreendente. Me decepcionei enormemente. O livro segue linear por toda a história, previsível, nem um pouco similar às outras obras incríveis do autor. :(

  2. Oiiee Rafa! Como você está?
    Oi Cida, tudo jóia?
    Quem leu Feios, Leviatã ou Os primeiros dias sabe como é a escrita de Scott: cativante, esperta, precisa e viciante. E quem correu para ler Além-mundos esperando por isto pode ter se decepcionado um pouco, como foi o meu caso. No começo, eu sequer diria que este tinha sido um livro escrito pelo Westerfeld, não reconhecia nada dele ali. Então eu esperei um tempo e fiquei remoendo as histórias na minha cabeça, em segundo plano, enquanto lia outros livros.
    Scott teve uma idéia e acreditou nela, assim como sua personagem Darcy, e assim nasceu Além-mundos. Nesse sentido, Scott se superou com certeza e entregou uma história que, como ele nos quis fazer acreditar, poderia ter sido escrita por uma adolescente.
    Mas não é o livro de entrada que eu recomendaria para quem quer começar a ler Westerfeld, não sei ao certo se eu sequer recomendaria…
    Beijos!

Leave a Reply

Required fields are marked *.